Presidente da Funbosque contratou pessoas para tumultuar audiência pública chamada pela Câmara de Vereadores de Belém

   


A audiência pública convocada pela Comissão de Educação da Câmara de Belém, agendada para às 10 horas do dia 27 de março, no auditório da Escola Bosque ficou marcada por uma série de tentativas de manobras por parte do presidente da Fundação, Sr. Fabrício Modesto, apadrinhado do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, que quase conseguiu que a audiência não acontecesse. Ao chegar, a comunidade escolar da Funbosque foi surpreendida com a falta de energia no prédio da escola. Os vereadores foram ouvir os pais de alunos, trabalhadores em educação e estudantes a cerca das graves denuncias e crimes que pensam contra o presidente da instituição.

O clima seguiu tenso, pois as pessoas contratadas para impedir a audiência gritavam palavrões contra os vereadores e pessoas que queriam debater os problemas que a escola passa, como falta de material didático, infraestrutura precária, falta de carteiras, merenda escolar de péssima qualidade, falta de transporte escolar para as ilhas e assédio moral, sistematicamente praticados pelas coordenações pedagógicas.

A falta de vontade política para resolver os problemas são percebidos pela quantidade de pessoas contratadas sem nenhuma função na escola, no intuito de policiar os professores concursados para não reclamarem das péssimas condições em que a escola se encontra e promover a campanha a vereador de Modesto, que funciona como cabide de emprego. “Esta escola já foi premiada por entidades internacionais, tida como referência educacional para o mundo”, comentou a Vereadora Marinor Brito, vice-presidente da Comissão de Educação da Câmara de Belém.

O Sintepp foi convidado para as manifestações dos professores e funcionários da Escola Bosque, que juntamente com a Associação dos Professores participou do ato público, onde vários trabalhadores em educação foram agredidos moralmente e fisicamente pelos “paus mandados” do Sr. Modesto. “Este senhor não é dono da escola. A escola é pública e portanto, ele não pode impedir a participação de ninguém, muito menos dos temporários que também são trabalhadores”, frisou Maurilo Estumano – Coordenador da Executiva Belém do Sintepp.

A Comissão de Educação da Câmara, várias vezes convidou o presidente da Funbosque para se defender na CMB das acusações, mas se ausentou em todas, então a audiência teve que ser na própria escola para que os moradores da Ilha ficassem sabendo o que acontece dentro da instituição. Enquanto as investigações continuam foi pedido o afastamento de Fabrício Modesto. “O Ministério Público tem que ser mais enérgico a respeito desse caso. Não vamos aceitar que os estudantes sejam destratados pela corja que se encastelou na Escola Bosque”, disparou Fernando Carneiro – Vereador do Psol.

Nas falas dos moradores não faltaram críticas, inclusive ao Conselho Tutelar que faz vistas grossas nos casos de abusos que acontecem dentro da escola. “É por isso que o conselheiro da ilha apoia o Fabrício, porque até hoje não investigou as denuncias que chegam até o conselho. Comentou Francisca Amorim, moradora de Outeiro.

Os estudantes também fizeram duras críticas à administração da escola, como a constante agressões cometidas pelos contratados que não tem nenhuma competência para cuidar das coisas da escola, esclarece o estudante Felipe. “O conselho escolar não presta contas dos recursos destinados à escola”, interrompeu uma mãe de aluno exaltada.

Com gritos de ordem: “Queremos um presidente honesto, fora Modesto”, a audiência pública foi encerrada. O Sintepp irá acompanhar o caso até que todos os asseclas de Zenaldo Coutinho e Fabrício Modesto sejam expulsos da Escola Bosque, para que ela volte a ser referência educacional e ambiental para Belém e para o mundo.

Não há vitórias sem luta!

SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC audiência_funbosque_sintepp (60) audiência_funbosque_sintepp (67) audiência_funbosque_sintepp (68) audiência_funbosque_sintepp (71) audiência_funbosque_sintepp (73) audiência_funbosque_sintepp (75) sintepp_escola_bosque SONY DSC SONY DSC SONY DSC SONY DSC

Um comentário para Presidente da Funbosque contratou pessoas para tumultuar audiência pública chamada pela Câmara de Vereadores de Belém

  1. Elinaldo vasconcelos disse:

    Ainda ontem (31/03/2014) o AGRESSOR do professor Alickson estava andando livremente pelas dependências da FUNBOSQUE como se nada tivesse acontecido, inclusive debochando da cara das professoras. O nome dele é Hildemar “Piauí”…
    Esse cidadão (Fabricio Modesto) está acabando com a escola bosque em todos os aspectos. É incompetente (já provou isso por diversas vezes) e não tem cacife para estar à frente de uma instituição da envergadora da FUNBOSQUE. Sou professor da instituição e tenho medo dos rumos que nossa escola está tomando com esse “pilhador” e “coveiro” que o Zenaldo colocou lá para atribular nossa vida.
    ALGO TEM QUE SER FEITO URGENTE CONTRA ESSE BANDIDO, OU NOSSA ESCOLA SERÁ DESTRUÍDA…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>