Novo Repartimento: Sintepp em movimento

   


site dentroNo momento em que o Brasil inteiro se levanta para reivindicar seus direitos, o Sintepp tem uma grande conquista para dividir com a categoria. Na terça-feira (18), os trabalhadores em educação reunidos no município de Novo Repartimento, Regional Tocantina, fundaram a Subsede daquele município.
Sete anos sem concurso público; número de contratados superior ao de efetivos; reajuste de 1% para o funcionalismo municipal; PCCR em reformulação, mas sem a devida sinalização para o cumprimento das gestões democráticas e estabelecimento do plano unificado entre os profissionais; achatamento do vencimento inicial recorrente desde 2009 e sucateamento das unidades escolares reuniram os motivos para a construção do processo democrático de ativação do sindicato que é a voz representante da classe trabalhadora educacional no Pará.
Para Willians Silva, coordenador geral do Sintepp, a ocasião expressa o reconhecimento e a confiança que profissionais da educação depositam na entidade. “O fôlego que nos deu mais esta aquisição é imensurável. Nas visitas constantes que a coordenação realiza às Subsedes percebemos que em cada canto do Pará existe a resistência para que se conserve a educação pública e de qualidade, com valorização profissional. O papel do Sintepp é organizar o educador onde ele está e o papel do educador é se fazer Sintepp no cotidiano. Vamos seguir nosso trabalho de estreitar as fronteiras geográficas de nosso estado para nos mantermos alerta aos ataques dos inimigos da educação, que sempre se mostraram incisivos na tarefa de alienar mentes para o melhor controle e manipulação das massas”, diz.
Acompanharam ainda a reunião, pela Coordenação da Regional, Edmilson Barbosa e Carlos Oliveira, o “Paraíba”.
Das cidades da Regional, Novo Repartimento era a única sem Subsede. A realidade mudou depois que uma das organizações sindicais viu o diretor “mudar de lado”. O atual vice-prefeito era da coordenação do Sindicato dos Servidores Municipais de Novo Repartimento, seu lado agora? O dos caciques.
A ação do governo de dar 1% de reajuste para o trabalhador e não estabelecer diálogo sobre as especificidades dos profissionais já estimula antecipadamente um sentimento de greve. As mais 150 escolas que existem no município estão em condições basicamente precárias e isso é logo comprovado nas 13 que estão na sede na cidade.
A Coordenação Provisória, eleita para pressionar o governo a estabelecer a mesa de negociação que encaminhará as pautas da categoria, já pensa em como estruturar a entidade para não permitir que se concretizem mais ataques ao direito fundamental e social de acesso à educação pública. Só o movimento nos fortalece. Não há conquista sem luta!
Junte-se à nos, venha para o Sintepp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>